A maioria das nossas células produz naturalmente a Coenzima Q10 (CQ10). Ela é uma molécula lipossolúvel que atua como um cofator endógeno essencial na cadeia de transporte de elétrons durante a respiração mitocondrial. Por essa razão, tecidos que demandam mais energia, como o musculo esquelético, coração, rins e fígado por exemplo, precisam da CQ10 para a síntese do ATP. Além disso, a CQ10 é considerada um antioxidante intracelular, auxiliando contra a peroxidação lipídica 1,2.

Além do envelhecimento, algumas doenças como síndrome metabólica, diabetes, desordens renais e desordens neurodegenerativas estão relacionadas a baixos níveis de CQ10 e, dessa maneira, a suplementação pode ser um aliado importante para aliviar os sintomas do envelhecimento e até mesmo retardar o aparecimento dessas doenças 2.

 

CQ10 na saúde e envelhecimento

Devido a sua participação na produção de energia celular no transporte de elétrons da membrana mitocondrial, a CQ10 tem sido considerada um antioxidante capaz de auxiliar na redução do estresse oxidativo celular o que, por sua vez, pode influenciar na redução de fatores de risco para doença metabólica e aterosclerose 1.

CQ10 tem um importante papel na redução da peroxidação lipídica de partículas de LDL, que são as partículas que contribuem para a aterosclerose. O tratamento com CQ10, portanto, pode trazer benefícios à saúde contra doenças cardiovasculares. Nas membranas plasmáticas, CQ10 atua como redutor das vitaminas C e E, o que auxilia na prevenção da morte celular 2.

Em idosos, dados mostraram correlação positiva entre as concentrações plasmáticas de CQ10, atividade física e menor dano oxidativo. O efeito antioxidante da CQ10 pode estar, portanto, associado ao desempenho do músculo esquelético durante o envelhecimento 3,4,5. Em um estudo randomizado controlado multicêntrico onde 420 indivíduos com insuficiência cardíaca foram acompanhados durante dois anos, observou-se que o tratamento com 300mg/dia de CQ10 reduziu os sintomas e o aparecimento de eventos cardiovasculares 6.

Embora sejam necessários mais estudos que corroborem com as evidências, o uso da CQ10 suplementar pode trazer benefícios à saúde dos idosos 1.

 

CQ10 e fertilidade

Estudos tem mostrado associação entre a infertilidade masculina e o estresse oxidativo, uma vez que esta condição pode levar à peroxidação lipídica das membranas celulares dos espermatozoides. Nesse contexto, a CQ10 atua como antioxidante protegendo as membranas da peroxidação e, os níveis de CoQ10 no líquido seminal podem ser considerados um importante biomarcador de saudabilidade dos espermatozoides 2,7.

Um estudo de coorte, com 211 homens entre 10 e 55 anos, observou que a CQ10 obtida apenas através da dieta não promoveu efeitos na qualidade do sêmen. No entanto, ressalta-se que a média de ingestão via dieta (38,9 mg/dia) é muito baixa comparada aos estudos com suplementação, que utilizam entre 200 e 600 mg/dia 7. Dessa maneira, a suplementação com CQ10 pode melhorar parâmetros do sêmen no tratamento da infertilidade 2

Em relação à infertilidade feminina, ainda existem poucos estudos clínicos que mostrem a eficácia da suplementação de CQ102, porém, estudos experimentais já tem evidenciado benefícios da suplementação com retardamento das reservas ovarianas, restauração do gene mitocondrial de oócito e melhora na atividade mitocondrial o que, consequentemente, melhorou o desenvolvimento dos oócitos e aumentou o número de oócitos ovulados e nascimento de filhotes 8.

 A CoQ10 da Max Titanium apresenta 100mg de Coenzima Q10 por porção.

 

Referências

 1. Mazidi M, Kengne AP, Banach M; Lipid and Blood Pressure Meta-analysis Collaboration Group. Effects of coenzyme Q10 supplementation on plasma C-reactive protein concentrations: A systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Pharmacol Res. 2018 Feb;128:130-136. doi: 10.1016/j.phrs.2017.08.011. Epub 2017 Aug 25. PubMed PMID: 28847708;

2. Hernández-Camacho JD, Bernier M, López-Lluch G, Navas P. Coenzyme Q(10) Supplementation in Aging and Disease. Front Physiol. 2018 Feb 5;9:44. doi:10.3389/fphys.2018.00044. eCollection 2018. Review. PubMed PMID: 29459830; PubMed Central PMCID: PMC5807419;

3. Del Pozo-Cruz J, Rodríguez-Bies E, Ballesteros-Simarro M, Navas-Enamorado I, Tung BT, Navas P, López-Lluch G. Physical activity affects plasma coenzyme Q10 levels differently in young and old humans. Biogerontology. 2014 Apr;15(2):199-211

4. Del Pozo-Cruz J, Rodríguez-Bies E, Navas-Enamorado I, Del Pozo-Cruz B, Navas, P, López-Lluch G. Relationship between functional capacity and body mass index with plasma coenzyme Q10 and oxidative damage in community-dwelling elderly-people. Exp Gerontol. 2014 Apr;52:46-54;

5. Fischer A, Onur S, Niklowitz P, Menke T, Laudes M, Rimbach G, Döring F. Coenzyme Q10 Status as a Determinant of Muscular Strength in Two Independent Cohorts. PLoS One. 2016 Dec 1;11(12):e016712;

6. Madmani ME, Yusuf Solaiman A, Tamr Agha K, Madmani Y, Shahrour Y, Essali A Kadro W. Coenzyme Q10 for heart failure. Cochrane Database Syst Rev. 2014 Jun 2;(6):CD008684;

7. Tiseo BC, Gaskins AJ, Hauser R, Chavarro JE, Tanrikut C; EARTH Study Team. Coenzyme Q10 Intake From Food and Semen Parameters in a Subfertile Population. Urology. 2017 Apr;102:100-105;

8. Ben-Meir A, Burstein E, Borrego-Alvarez A, Chong J, Wong E, Yavorska T, Naranian T, Chi M, Wang Y, Bentov Y, Alexis J, Meriano J, Sung HK, Gasser DL,Moley KH, Hekimi S, Casper RF, Jurisicova A. Coenzyme Q10 restores oocyte mitochondrial function and fertility during reproductive aging. Aging Cell. 2015 Oct;14(5):887-95.